Hipnose, Hipnoterapia e Aplicações

A hipnose é um tema que suscita diferentes reações. Para os que acreditam que os seres humanos têm em si potenciais inexplorados, a possibilidade de aceder aos recantos profundos da mente humana através da hipnose, suscita curiosidade e fascínio. Os que se viram influenciados pelos espetáculos de hipnose de palco podem sentir nervosismo em relação à hipnose ou serem totalmente céticos à técnica.


A hipnose é uma das mais antigas técnicas existindo evidências do seu uso em hieróglifos egípcios antigos datados de 3000 a.C. Também a civilização Maia e os povos da Grécia Antiga deixaram evidências do seu recurso a técnicas semelhantes a hipnose. Mais recentemente homens como Anton Mesmer, James Braid e até Sigmund Freud figuram entre os pioneiros que abriram caminho para que a hipnose se tornasse uma das ferramentas terapêuticas mais poderosas dos tempos modernos.

Desde a década de 50 do século passado que as Associações Médicas Britânica e Americana reconheceram oficialmente os benefícios do tratamento através da hipnose.



Milton Erikson foi considerado uma dos hipnotizadores mais relevantes do séc. XX, um dos pontos mais importantes que defendia era que a mente inconsciente é um instrumento terapêutico de auto-cura incrivelmente poderoso. Erikson acreditava que dentro de cada um de nós se encontra a capacidade de nos ajudarmos e curarmos a nós próprios.

 

O que é a Hipnose? 

A Hipnose é um estado modificado de consciência em que há maior sugestionabilidade e recetividade à mudança.


Segundo a British Medical Association "A hipnose é um estado passageiro de atenção modificada no indivíduo, estado que pode ser produzido por outra pessoa e no qual diversos fenómenos podem surgir de forma espontânea ou em resposta a estímulos verbais ou de outro género. Estes fenómenos englobam alterações na consciência e na memória, um aumento de susceptibilidade à sugestão e o surgimento, no indivíduo, de respostas e ideias que não lhe são familiares no estado de espírito normal ".


Os processos neuropsicológicos subjacentes à hipnose ainda não estão perfeitamente esclarecidos havendo inúmeras teorias sem que haja uma posição consensual, no entanto, a validade científica dos resultados obtidos tem já qualidade definida.


Na hipnose é induzido gradualmente um estado de relaxamento mental e físico que leva a que a mente não esteja tão reativa a determinados estímulos e esteja num estado superfocado sobre outros.


É na realidade um estado natural e confortável que diariamente experienciamos em várias ocasiões como por exemplo enquanto conduzimos e estamos tão absortos nos nossos pensamentos que nem nos apercebemos do caminho percorrido, ou quando lemos uma página de um livro e não retivemos nada do que estava escrito porque estávamos a pensar noutra coisa, ou quando vemos um filme e nos tornamos tão absortos na história que esquecemos todas as preocupações.


Em todos estes estados o que acontece naturalmente é que focamos tão intensamente a nossa atenção num determinado conjunto de estímulos (pensamentos, imagens, sons, etc.) que todos os restantes estímulos passam para um plano não consciente. Neste estado superfocado a mente está mais recetiva a receber e manter as sugestões dadas (as empresas de publicidade sabem desta sugestionabilidade por isso colocam anúncios nos intervalos dos filmes…).


O que é a Hipnoterapia? 

A hipnoterapia é uma técnica terapêutica que recorre à indução de um estado de hipnose de modo a facilitar e promover mudanças. Como referido, neste estado de hipnose a sugestionabilidade, ou a abertura à mudança, é aumentada sendo possível trazer à consciência motivações subconscientes, aceder a memórias reprimidas, fazer terapia de regressão e usar sugestões para desenvolver estados positivos, melhorar comportamentos, largar hábitos disfuncionais, ultrapassar medos e fobias, etc.


De salientar que durante a sessão de hipnoterapia o cliente está consciente, acordado, participa e recorda tudo. A ideia de que num estado de transe hipnótico se perde o controlo da mente e podemos fazer coisas contra a nossa vontade não passa de um mito vulgarizado pelos espetáculos mediáticos.


Aplicações da Hipnoterapia?

A hipnose tem aplicações terapêuticas diversas como estados de ansiedade e stress, estados depressivos ligeiros a moderados, insónia, fobias, ataques de pânico, comportamentos compulsivos indesejados ou prejudiciais (alimentares, fumar, roer as unhas), controlo da dor, síndrome do colon irritável, condições dermatológicas falta de concentração, ansiedade de performance (nos testes, falar em público), baixa autoestima e autoconfiança, etc.

 

As sessões de hipnose também podem permitir / facilitar processos como:

  • Transcender conflitos internos
  • Alterar padrões de pensamento destrutivos ou negativos
  • Libertar crenças limitantes
  • Tornar conscientes processos inconscientes
  • Aceder a repostas e soluções que o "sábio" inconsciente já tem
  • Criar espaço para a descoberta de um novo mundo de serenidade interior


Quanto tempo dura uma sessão de hipnoterapia?

As sessões duram em média 50 minutos e são feitas à medida do cliente, de acordo com o seu objectivo e expectativas tendo em linha de conta os seus valores e crenças, o ambiente em que viveu, o seu historial, os seus medos, as suas potencialidades e capacidades.


Ainda que cada um de nós responda à hipnose em diferentes períodos de tempo (desde imediato até várias sessões), em geral a hipnose é mais rápida que as terapias convencionais.

É um processo dinâmico e único para cada cliente e onde podem também ser usadas outras ferramentas que sejam de maior utilidade e que permitam uma progressão mais rápida (ferramentas de coaching e PNL, mindfulness, psicologia positiva, etc).




NOTA – As sessões não substituem qualquer tratamento ou acompanhamento médico em curso. Caso esteja em tratamento médico, psiquiátrico ou psicológico consulte primeiramente o seu Médico sobre a adequabilidade desta abordagem nesta fase da sua vida.